terça-feira, 10 de abril de 2018

'BANDA AGENDA' dá Show no Carnaval de Rio Preto

Fotos: Luiz Vianna   

A BANDA AGENDA (Metais), consagrada em seus 30 anos carreira em todo o Brasil esteve na região, mais exatamente em Rio Preto, Estado de Minas Gerais, na sexta-feira, dia 09 de fevereiro, quando às 23:00 horas fez a abertura oficial do tradicional Carnaval da cidade mineira.



A BANDA AGENDA não economizou em seu repertório de Carnaval, procurou atender a todos os gostos dos foliões e foi citada por diversas pessoas como a surpresa do Carnaval Rio-Pretano, tendo sido elogiada publicamente pelo próprio Prefeito Inácio Ferreira e por alguns secretários do Governo Municipal.



Os nove componentes da Banda fizeram a diferença com os metais,  apresentando com três cantores no palco um repertório bem  elaborado que animou os foliões da cidade e de várias partes do Brasil.



O Diretor e Fundador da BANDA AGENDA, Cláudio Kelly, e o Produtor Luiz Carlos Vianna (grande produtor musical do Rio de Janeiro nos anos 80) agradeceram ao Prefeito Inácio Ferreira e às demais autoridades municipais de Rio Preto por terem confiado e prestigiado a BANDA AGENDA no Carnaval de 2018, e também ao público que cantou e dançou grandes sucessos na praça central.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Quadrinistas na Bienal do Livro 2018

REGULAMENTO E FICHA DE INSCRIÇÃO 
ANTOLOGIA DE HISTÓRIAS EM QUADROS (HQ) PLURALIS

Estão abertas as inscrições para a Antologia PLURALIS, 
edição especial para lançamento na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo 2018. 


REGULAMENTO

O tema é livre. Dela poderão participar autores, roteiristas e ilustradores brasileiros, residentes no Brasil ou não, maiores de 16 anos. Volume único, no formato 15 x 22 cm, com miolo em P&B (preto e branco) e capa colorida, organizado em ordem alfabética. Cada participante poderá inserir um ou mais trabalhos de sua autoria, no gênero HQ, em duas, quatro ou seis páginas (número máximo de páginas). Para cada inscrição deverá ser enviada biografia do(s) participante(s), com até 500 caracteres. As biografias serão inseridas no final do livro, em ordem alfabética. A antologia não é concurso e todos os inscritos terão seus trabalhos publicados, desde que em conformidade com as regras de participação. Não há obrigatoriedade de o material enviado para publicação ser inédito. Os trabalhos deverão ser em língua portuguesa, o que não impede o uso de termos estrangeiros no texto. Não serão aceitos trabalhos de cunho imoral, que contenham termos ou imagens pejorativos, pornográficos e/ou ofensivos. Também não serão aceitos materiais que façam referências discriminatórias ou que incitem práticas ilegais.

Inscrições até 30 de abril de 2018 ou até o preenchimento das 75 vagas, o que acontecer primeiro.

sexta-feira, 30 de março de 2018

Sergio Sampaio - Pavio do Destino

O destino cruel nos tirou precocemente um dos artistas mais promissores da música popular brasileira, Sergio Sampaio, O Maldito.


Sergio Sampaio - Pavio do Destino

Zeca Baleiro recuperou músicas perdidas de Sérgio Sampaio, o mais "maldito" dos artistas da MPB dos anos 70. Comparando-se com Sampaio, Raul Seixas se considerava careta.

Se há um músico brasileiro que merece o adjetivo "maldito" é o capixaba Sérgio Sampaio. Descoberto por Raul Seixas, em 1972, Sampaio emplacou seu único sucesso nacional, com Eu quero botar o meu bloco na rua. Além de um álbum com Raul Seixas, Miriam Batucada e Edy Starr, ele fez um compacto de dois LPs. Problemas pessoais, mau relacionamento com gravadoras, escantearam Sérgio Sampaio para a margem do show business. No início de 1994, ele pretendia gravar Cruel, seu primeiro CD, pelo selo paulistano Baratos & Afins. Em maio, Sérgio Sampaio morreu em conseqüência de uma pancreatite. Leia mais...