Artesanato e Sustentabilidade

Artista do bambu, Itiberê de Andrade é também um artesão que acredita na sustentabilidade e na conservação do meio ambiente. Em seu ateliê ele fabrica instrumentos musicais ecológicos,

Algumas Definições de Arte e Artesanato

Arte e artesanato, expressão e reflexo da personalidade do artista. Arte - do latim, ars, artis, maneira de fazer uma coisa segundo as regras, habilidades. Ideal de beleza nas obras humanas.

A Arte de Ivan Artesão

Móveis com muito estilo e bom gosto, Ivan Artesão, capricha na qualidade e no acabamento, fazendo um artesanato refinado e de grande requinte, que se encaixa em qualquer ambiente.

Porta Incensos

Onde se encontra o limite entre a arte e o artesanato? É difícil explicar. Catia Sardou se supera a cada dia com seu trabalho, que não se limita a ser apenas uma mera peça de artesanato,

Manual de Curso de Fibra de Bananeira

Material bastante interessante para aqueles que estão querendo aprender uma nova técnica artesanal e desejam aumentar sua renda.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Livro de Victor S. Gomez no Prêmio OLHO VIVO 2014

Victor S. Gomez é Valença - RJ no Prêmio OLHO VIVO 2014

Meu livro "Universo Interior" lançado pela Editora Patuá está entre os 10 indicados ao Prêmio OLHO VIVO 2014.

Quem quiser colaborar, se achar que eu mereço, e quiser dar uma força para eu ficar em primeiro lugar, entre no link e fique a vontade para votar. 

É necessário apenas fazer um pequeno cadastro e votar.

Desde de já agradeço a todos.

Quem puder votar no meu livro "Universo Interior" para o prêmio Olho Vivo, clica no link:
da votação: http://www.olhovivoca.com.br/enquetes/91/livro-em-qual-voce-vota-para-receber-o-premio-olho-vivo-2014/

Abraços

"O livro Universo Interior é formado por contos, aonde são reveladas passagens de uma infância rica e cheia de fantasia, apresentadas por meninos que viveram em uma época em que tudo era possível, até mesmo acreditar que o improvável poderia ser realidade.

Ele nos remete a um passado não muito distante, de cidades interioranas, tranquilas e a um mundo interior cheio de mistérios, com personagens que lutam contra seus medos e que possuem problemas que não são revelados, mas que são muito comuns a todos nós. 

Um universo interior que pertence a todos, mas que só nós mesmos é que podemos administrá-lo.”


sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Valença - RJ

Corria o ano de 1789, quando D. Maria I de Portugal incumbiu ao Vice-Rei Luiz de Vasconcelos e Souza, que iniciasse a catequese dos índios denominados Coroados. A empreitada não foi tão fácil, os coroados eram bastante temidos, mas não resistiram às armas dos homens comandados pelo capitão de ordenanças Inácio de Souza Werneck.

A noite os índios invadiam lavouras das fazendas vizinhas a aldeia, trazendo grandes prejuízos aos seus donos. As difíceis trilhas e densa floresta da mata atlântica dificultavam a viagem até a região dos coroados. Depois de vários combates com os destemidos Coroados, foi construída uma modesta capela dedicada a Nossa Senhora da Glória de Valença, em homenagem ao Vice-Rei descendente da tradicional família portuguesa dos Marqueses de Valença.

O contato com os colonizadores fez com que surgissem doenças, contra as quais os índios não tinham imunidade. Uma epidemia de varíola se propagou nesta época por várias aldeias, causando grande dano a comunidade indígena. Alguns poucos nativos que sobraram foram levados para Conservatória dos índios. Com a chegada do progresso a população branca aumentou e os poucos índios que restaram foram para Minas Gerais.

Colégio Theodorico Fonseca.

Rodoviária, antiga estação de trem.

Jardim de Cima

Em meados do século XIX, Valença tornou-se um dos municípios mais ricos do estado do Rio de janeiro. Várias linhas de trem cortavam seu território, para buscar as sacas de café estocadas nas fazendas. Uma grande malha ferroviária ligava Valença, Osório, Barão de Juparanã, Rio das flores, Conservatória e cidades vizinhas.

A instalação das oficinas e do 10.º Depósito da Central do Brasil; a construção da variante de Estêves e do trecho ferroviário entre Marquês de Valença e Taboas e de Rio Preto a Santa Rita de Jacutinga, fizeram também com que aumentasse a população, se enriquecesse o comércio e se desenvolvesse a indústria. Hoje suas belezas, tanto na arquitetura quanto as naturais, encantam a todos que nos visitam.

Jardim de Baixo.

Hotel Valenciano.

Catedral de Nossa Senhora da Glória.

Balneário Ronco D'água.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Talento da Terra: Aparecida dos Santos

Arte na rua. 

Aparecida dos Santos nascida no distrito de Santa Isabel é uma grande artista plástica de Valença, que publico aqui. Seu trabalho é muito bom e o que mais me admirou foi a sua luta para divulgar a sua arte. 

Ela já tem em seu currículo uma exposição na Fundação Léa Pentagna e no restaurante Fratelle aqui em Valença.

Outro dia eu a encontrei na Praça do Jardim de Baixo pintando esse quadro.




É necessário que o nosso governo de mais atenção a esses abnegados artistas, que lutam para sobreviver, divulgando em suas obras nosso belo município.






Quem estiver interessado entre em contato com a artista: Tel. 24 24584816

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

As Sete Maravilhas do Mundo Antigo

Grandes obras de arte que mostram o que o ser humano é capaz de fazer, quando direciona seu poder criador para um objetivo comum.

Pirâmides do Egito

Quando o homem construiu os imponente monumentos, que mais tarde se tornariam as Sete Maravilhas do Mundo, jamais poderia imaginar que isso aconteceria. Todas essas obras de arte só nos mostram o potencial da humanidade, que quando empenhada em trabalhar de maneira correta, trás a tona toda beleza e criatividade do ser humano.

Esse vídeo, que traz belas imagens das Setes Maravilhas do Mundo Antigo. Postado no Youtube por Abner Efraim.

Deliciem-se com essas fantásticas maravilhas do mundo antigo.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

A arte na pré-história II

O estilo geométrico do período neolítico.

Com a mudança de comportamento, o homem passa de caçador a camponês. Os grupos nômades transformaram-se em comunidades sedentárias. Essa transformação social modifica seu comportamento, fazendo com que surja um novo estilo de arte. A arte mágica da lugar a arte meramente decorativa.


O trabalho manual repetitivo faz com que o estilo geométrico surja como uma arte mais simples e de menor valor. Passa a ser um ato diletante, quando contrastada com o estilo naturalista do paleolítico.

 A arte neolítica tem a marca de "arte camponesa", tanto por suas formas tradicionalistas e impessoais, correspondentes ao espírito conservador e convencionalista do agricultor, quanto por ela ser o produto dos períodos de ócio permitidos pelo trabalho agrícola.



fonte: História Social da Literatura e da Arte - A. Hauser

sábado, 6 de setembro de 2014

Marcelino Sanz de Sautuola

Em 1879 um homem e sua pequenina filha de oito anos, caminhavam pela região de Cântabro de Santillana Del Mar, Espanha, a procura de peças arqueológicas. Uma brisa suave que vinha da direção do mar, fazia com que a caminhada se tornasse mais leve.

Com olhos aguçados vasculhava cada pedaço do lugar a procura de objetos antigos. Não sabia estar próximo de encontrar algo, que se tornaria uma das maiores descobertas do século XIX. Quase sem perceber pararam diante de uma caverna. Ao entrar na gruta de Altamira, sua filha Maria avançou por uma ala até então desconhecida da caverna e para sua surpresa ao ir atrás da menina, ele encontrou várias pinturas rupestres.


As pinturas situadas na parte mais profunda da caverna eram usadas em rituais mágicos pelos homens primitivos. Para o homem das cavernas ter a pintura, era ter a certeza da captura do animal.

Usando os dedos e vários tipos de pigmentos de plantas, argila, carvão, sangue, oxido de manganês e gordura animal, esses artistas do período paleolítico realizaram verdadeiras obras de arte.

O autor dessa importante descoberta, Marcelino Sanz de Sautuola, farmacêutico, botânico e arqueólogo, morreu desacreditado. Somente anos mais tarde, foi lhe dado o devido crédito.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Balneário Ronco D’água

Localização: Estrada RJ-143 – Valença / Conservatória – Bairro Rancho Novo

Tel: 9976-8839 – 81386392

Horário: 09h às 18h.

Localizado no no município de Valença, o Balneário Ronco D’água conta com  trechos de corredeiras. Com três quedas, seguidas de piscinas naturais, o turista terá ainda várias opcões de lazer dentro do balneário.

O balneário possui bar, sanitários, churrasqueiras  e áreas para camping. As crianças ainda poderão contar, com um pequeno trecho de areia e uma piscina natural bem calma, para a tranquilidade dos pais.

Um local tranquilo onde você poderá se livrar dos problemas do dia a dia, do stress das grandes cidades, juntamente com sua família e seus amigos.

Entre em contato e venha desfrutar desse paraíso, ele está mais perto do que você imagina.


Google+ Followers