quinta-feira, 15 de junho de 2017

Julinho da Adelaide - Chico Buarque

Durante a ditadura, não se podia escrever aquilo que se sentia, então surgiram as mentes mais brilhantes da nossa MPB. A criatividade busca novos caminhos, abre portas secretas, faz com que encontremos os melhores trajetos, os mais belos, os mais inteligentes, e se esquiva de toda ignorância, prepotência e covardia. Victor S. Gomez




Show Histórias de canções - Chico Buarque
Wagner Homem e Rogerio Silva
Teatro FECAP - São Paulo agosto de 2010

Contato: autor@historiasdecancoes.com.br



JULINHO
DA ADELAIDE
Julinho da Adelaide nasceu quando Chico Buarque passou a ser muito conhecido entre os censores do regime militar, na década de 70. Suas músicas eram proibidas somente porque levavam sua assinatura. A saída para burlar a censura foi a criação de um heterônimo. E deu certo. Acorda amorJorge maravilha e Milagre brasileiro passaram pela censura sem maiores problemas. Julinho chegou até a dar uma entrevista para o jornal Última Hora sobre sua carreira em ascensão. O jornalista e escritor Mário Prata, que o entrevistou em 1974, relembra esse episódio no artigo abaixo. A entrevista publicada contém apenas parte do que você pode ler na transcrição integral da fita que a originou.

Leia no link: 
http://www.chicobuarque.com.br/sanatorio/julinho.htm

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Contos e Poemas de Outros Mundos

Eu andei por aqui, por ali, eu viajei para Outros Mundos, muitas vezes, sem nem me dar conta. Busquei por toda vida encontrar outros lugares, outros caminhos, viver em outros mundos, visitar outros mundos, viver outras vidas, visitar novas terras. E nessa incessante necessidade de conhecer tudo que existe nesse nosso universo, encontrei muitas formas de viver. Viver com amor, com amizade, com criatividade, com sensibilidade e outros tantos sentimentos que nos fazem bem. Talvez o universo seja mesmo uma imensa bolha vagando em meio a tantos outros universos, sem destino e para sempre, e nós apenas passageiros desse e de outros tantos universos, sem mesmo saber onde estamos, se aqui ou acolá. Mas uma coisa é certa, só seremos verdadeiramente felizes, se em cada um deles deixarmos uma pequena cota de amor para nossos semelhantes, ontem, hoje, amanhã e sempre. Victor S. Gomez


fonte da imagem: 

domingo, 28 de maio de 2017

Rumble: Os Índios que Balançaram o Mundo

A arte nos envolve com suas possibilidades e com seu conceito de integração. As misturas sempre favorecem o continuo crescimento da arte, fazendo com que a criatividade se expanda de forma a trazer a miscigenação de diversas culturas, o que nos mostra que tudo é possível, até mesmo vivermos em paz apreciando o que é belo.


Assustadoramente rico e ressonante documentário de música. A música popular americana - e a história do rock and roll - não seria a mesma sem as contribuições dos artistas nativos americanos. Um lembrete de que as vozes e a música dos povos indígenas não podem ser silenciadas ou ignoradas.


quinta-feira, 11 de maio de 2017

Sobre meu Livro

Muitas pessoas já leram e se emocionaram com meu livro "Universo Interior", publicado pela Editora Patuá. Alguns deixaram comentários incríveis sobre o livro. Eu mesmo me emociono e as vezes até vertem lágrimas quando releio alguns contos. O que a gente vive, o que a gente passa pela vida, tudo que nos faz mal ou faz bem, fica registrado em nosso cérebro, alguns conseguem extirpar tudo e transformar isso em palavras, outros nas tantas formas artes que temos, quadros, esculturas, desenhos, e outras; e são tantas as pessoas que soltam seus fantasmas, quando leem um texto, observam um quadro, uma escultura, um desenho e outras formas de arte. A vida é bela, e o amor que temos por nossa vida e de nossos semelhantes deve ser sempre o maior do mundo, para que possamos criar cada vez mais coisas boas, que nos aprimorem sempre.

Livro"Universo Interior" 1º lugar no Prêmio Olho Vivo de Volta Redonda, RJ.

Meu livro "Universo Interior" na Editora Patuá:

terça-feira, 2 de maio de 2017

Viagem - Gilberto Monteiro

Viagem
Poema do Professor Gilberto Monteiro Presidente da Fundação Lea Pentagna.

Caminhos percorridos
dos muros nenhum
medo.

Bússola não usava...
Segurança demais
trava....
Viagem é assim
mesmo
o carro bate
o barco afunda
o avião cai

terça-feira, 18 de abril de 2017

Site Artesanato Passo a Passo

No site Artesanato Passo a Passo você encontra muita coisa boa, várias técnicas de artesanato e muito mais. Não perca essa oportunidade de aprender mais e descolar uma graninha a mais, fazendo o que você gosta.

Vejam as várias técnicas artesanais e seus passo a passo. É fácil e você logo logo estará fazendo peças lindas e vendáveis.

Se você está buscando ideias de artesanatos com pedaços de madeira saiba que há inúmeras alternativas e, uma mais interessante que a outra. Há itens para organizar a sua casa, para decorar a sua casa e até mesmo para facilitar a sua rotina.





quarta-feira, 29 de março de 2017

Bob Dylan The Best

É difícil pensar em um músico judeu que tenha tido uma maior influência sobre a cultura do século XX do que Bob Dylan. Dylan foi um dos maiores poetas americanos, a voz de uma geração inteira. 

Em 1999, ele foi incluído na revista Time, "100 pessoas mais influentes do século 20", descrevendo-o como "poeta, artista, comentarista social e o principal espírito da geração anti-cultura". Em 2016, recebeu o Prêmio Nobel de Literatura

Para demonstrar até que ponto Dylan tinha se tornado um mito em sua vida, Time citou uma linha de uma de suas canções, Jokerman, "Você nasceu com uma cobra em ambos os seus punhos, enquanto um furacão estava soprando".


Texto de Victor S. Gomez em homenagem a Bob Dylan.

A Encruzilhada

O garoto saiu de casa,
aquela vidinha não lhe pertencia.
Ainda era bem novo,
disse não querer mais continuar ali,
queria outra vida,
a poesia o chamava.
O tempo passou,
e ele foi crescendo,
tanto por fora,
quanto por dentro,
a vida lhe ensinou muito mais do que esperava.
Conheceu pessoas,
viu o mundo,
tudo surgiu diferente a sua frente,
como nunca tinha visto.
Passou pelo deserto,
tirou fotos ao lado de cactos.
A vida era mais espinhosa que eles.
Ei garoto,
tem certeza que você precisava roubar os discos do seu amigo.
Foi isso que ele fez quando chegou naquela cidade,
depois sumiu.
Os amigos foram atrás dele,
o encontraram em outra cidade,
cheio de desculpas,
disse que os tinha pego apenas emprestado.
Depois sumiu de novo,
foi visto depois das montanhas,
tinha ido visitar aquele cantor de folk,
aquele dos discos.
Mais uma vez despareceu,
alguns dizem que ele foi para a encruzilhada,
encontrar aquele homem que tinha certos poderes.
Ei garoto,
tem certeza que você precisava roubar os discos do seu amigo.
Tempos depois voltou,
tocando e cantando mais do que podia,
mais do que devia.
Quando lhe perguntam sobre essa história:
Ela é verdadeira garoto?
Ele apenas sorri.