segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

A arte na Pré-história I



Alguns historiadores e arqueólogos partem da ideia  de que a arte praticada no período paleolítico, era baseada em princípios unicamente formais; outros, que a preservação da existência natural e a reprodução são as primeiras formas de manifestações artísticas. O que seria a única forma de subjugar e dominar a realidade. Nesse caso a arte não seria afastada da vida e da natureza, não sendo apenas uma coisa estática, sem participação na história, mas uma técnica ágil, por vezes sugestiva, quase impressionista.


As pinturas rupestres do período da pedra lascada, só têm um paralelo mais recente, mais exatamente no movimento impressionista. Alguns afirmam que essas pinturas, chegam a ter semelhança com pinturas de Toulouse-Lautrec e Degas.

O caçador e o pintor da era paleolítica achavam que se tivessem a imagem, teriam o próprio objeto. Pintar um animal na parede da caverna seria ter o próprio animal. Para eles a pintura não se separava da realidade, uma era complemento da outra, não havia diferença.


Chegamos à conclusão de que na idade da pedra lascada, a arte estava serviço da vida. Não se sustenta a tese das pinturas serem apenas decorativa ou expressiva, inclusive por muitas dessas pinturas, encontrarem-se em locais muito escuros e de difícil acesso. Era preciso colocá-las em locais estratégicos, onde eram feitos rituais mágicos. 

Pintavam-se animais atravessados com lanças e flechas, e em alguns casos essa armas eram atiradas contra as pinturas.  Sendo assim, não cabe que qualifiquemos essas obras, apenas de lúdicas e ornamentais.

0 comentários:

Postar um comentário

Caso tenha gostado do que encontrou aqui, comente o artigo que acabou de ler.