quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

A Arte de Karina Buhr


Acredito que essa menina vai longe, gosto do seu jeito brejeiro, do tom forte e ao mesmo tempo suave da sua voz. Será que estou certo, espero que sim, essa garota promete, não acham? É apaixonante!

"No começo de 2010 Karina Buhr lançava seu primeiro disco solo “Eu Menti pra Você”. Eleita artista do ano, pela APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte), figurou entre os “Top 10″ do ano da revista Rolling Stone, entre tantas outras importantes seleções de críticos e jornalistas, dando destaque ao CD como um importante lançamento do ano e a Karina como uma grande revelação da musica nacional. No mesmo ano ela foi um dos 3 nomes brasileiros convidados pela Womex, importante feira mundial de música, em Copenhague.
Foi contemplada pelo edital Natura Musical, pra gravação do segundo disco e turnê inicial, indicada a “artista revelação” do ano, no VMB, prêmio da MTV e “melhor cantora” no Prêmio Musica Digital.
Ainda em 2010 gravou os programas Altas Horas da Globo e Ensaio da TV Cultura, teve musicas incluídas na minissérie “Clandestinos” (Globo) e “Descolados” (MTV), gravou o clipe de “Nassíria e Najaf” e participou do lançamento da Caixa Preta de Itamar Assumpção, fazendo o show completo do disco “Intercontinental”, com participações de Elke Maravilha e Denise Assunção." Leia no site da cantora.

Karina Buhr cantando "Eu Menti Pra Você" e dando entrevista no programa Radiola na TV Cultura.




fonte da imagem: http://www.xlyrics.net/karina-buhr-images.html

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Arte no Império Banhado a Ouro


Com a chegada dos espanhóis, liderados por Francisco Pizarro, extinguiu-se aquele que foi o maior império das Américas, o Império Inca. Com sua capital em Cusco, o Império Inca se estendia do Equador ao norte do Chile, mas sua cidade mais conhecida é Machu Picchu, descoberta em julho de 1911 pelo historiador americano Hiram Bingham

Quando Francisco Pizarro desembarcou no Peru, encontrou um império destroçado por uma guerra civil, dividido entre os irmãos Atahualpa e Huáscar, que lutavam por um controle total. Os espanhóis não tiveram muito trabalho para destruir e saquear aquele majestoso império.


Império Inca teve início por volta de 1250 d.C., com a conquista dos povos que habitavam a região. Dividido em castas, que não se misturavam, acredita-se que as nobres Incas eram de pele clara e enormes cabelos negros e lisos, os lideres Incas dominaram aquela região até a chegada dos espanhóis em 1533.

O Império Tahuantinsuyo, como era chamado pelos Incas, tornou-se conhecido por todos por sua fúria e por usar a pele de seus inimigos como tambores, o crânio também era muito usado, o que intimidava qualquer oponente.


Os Incas desenvolveram um estilo muito funcional e uma avançada arquitetura de pedras na construção de edifícios. A planta das cidades era baseada em um sistema das avenidas principais cruzadas pelas estradas menores que convergiram em um quadrado aberto principal cercado prédios e templos.


Mas não foi essa arquitetura que despertou o interesse dos espanhóis. Quando ali chegou, Francisco Pizarro já sabia que todos os edifícios e casas eram cobertos de ouro e que utensílios de uso domestico, também eram de ouro.

Para os Incas o ouro não tinha valor monetário e sim decorativo. Foi a ganância, e a disputa pelo poder, quem destruiu um dos maiores impérios que se tem conhecimento.

fonte das imagens: druidadovento.blogspot.com fonte do texto: pt.wikipedia.org

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Os Gigantes da Ilha de Páscoa


Seria apenas o desejo megalomaníaco de um rei insano ou obra de alguma civilização alienígena? Estudiosos, pesquisadores, arqueólogos, ufólogos, buscam respostas até hoje desconhecidas. Quem teria construído os Moais (enormes estátuas de pedra)? Como eles foram transportados até os Ahus (monumentos funerários)?

No ano de 1722, domingo de páscoa, às 18 horas. A bordo do navio de Afrikaanske Galei, os marinheiros trabalham normalmente. Há quatro meses e meio tinham levado ferro da Holanda em viagem de exploração e comércio e afora o rápido combate com um grande galeão espanhol, que tinha deixado para trás graças a sua superior velocidade, tudo havia corrido ao gosto do comandante comodoro Jacob Roggeveen. Súbito o vigia, anuncia “terra à vista”. Ao se aproximarem de uma ilha não assinalada no mapa, com a pouca luz do entardecer chegam a tempo de avistar no litoral.

"Sobre longas muralhas de pedra, enormes gigantes que parecem dispostos a evitar desembarque. Roggeveen manda ancorar longe da costa e decide esperar pelo amanhecer para tomar uma decisão. Quando o dia clareia os europeus têm sua segunda surpresa. Os gigantes permaneciam parados e com óculos de alcance foi possível avistar gente de tamanho normal que se movia entre eles. Tinha-se assustado com estátuas. Resolvem então desembarcar, após batizar a ilha em honra a data de sua descoberta." (Texto retirado do livro “Grandes Enigmas da Humanidade" Luís Carlos Lisboa e Roberto Pereira de Andrade)

Nada mais espantoso que as estatuas gigantes da Ilha de Páscoa, mistério até hoje não desvendado. Longe de tudo, num lugar isolado, perdido em meio ao oceano pacifico um povo extremamente obstinado, construiu essas fabulosas obras de arte.

Dizem que foram cortadas todas as árvores da ilha, para o transporte dos enormes blocos de pedra, até o lugar onde estão hoje e para a fabricação dos andaimes e guindastes que ajudaram a levantá-los. Tal feito teria causado um desequilíbrio ambiental tão grande e provocado a extinção dos habitantes da ilha.

Centenas de estátuas medindo entre 6 e 12 metros de altura e pesando cerca de 20 toneladas, estão espalhadas pela Ilha de Páscoa. Algumas perto do mar, como que guardando a ilha da curiosidade de intrusos, outras mais afastadas. A maioria está de pé, algumas ainda deitadas, e outras inacabadas, como se tivessem sido deixadas para trás pelos seus construtores. Quem sabe talvez fugindo de comerciantes de escravos, que naquela época passavam por ali. O que se sabe ao certo é que esse enigma, deverá ainda render muitas histórias.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O Artista Plástico Fernando Gabriel Bertazzoli


O sentimento do artista alegra a alma e nos mostra formas e cores do dia a dia, quadros que nos dizem muito sobre a vida urbana, como grafites, mas muito além de simples pinturas em muros. Arte pura e agradável, que nos expõe questões sociais, que talvez um dia sejam resolvidas.

Fernando Gabriel Bertazzoli nasceu em Buenos Aires em 1962. Na década de 80 estudou na Escola de Belas Artes Manuel Belgrano e nos anos 90 realizou trabalhos de figurinista, iluminação e cenografia

Desde 1997 vive e trabalha no Rio de Janeiro. Todos os domingos o artista plástico Fernando Gabriel Bertazzoli expõe seus trabalhos na Feira Hippie de Ipanema.

Durante os últimos vinte anos o artista realizou várias exposições individuais e coletivas. Seu trabalho faz parte de várias coleções privadas de Europa, Estados Unidos, Brasil, Argentina, entre outros.

http://www.gabrielbertazzoli.com




Exposições:

Individuais
2011 Fundação Mario Peixoto, Mangaratiba, Brasil
2009 Abraham Art Center- Venray, Holanda
1996 Galeria Fabrica, Assunción, Paraguay
1995 Galeria Fabrica, Assunción, Paraguay
1994 Museo de la Cidade, Bahia, Brasil
1991 Galeria Liliana Boccia, Assunção, Paraguay

Colectivas
2008 Abraham Art Center, Venray, Holanda
2000 Espaço Cultural Studio, São Paulo, Brasil
1998 Novas visões, Galeria Vertentes, São Paulo, Brasil
1994 Grupo "La vaca", Salvador, Bahia, Brasil
1993 Bienal do Recôncavo, São Felix, Bahia, Brasil
1993 Expo-Feria´93. Asunción
1992 Bienal de pintura, Centro de Artes visuales, Asunción, Paraguay
1991 Muestra permanente "La Galeria", Aregua, Paraguay
1990 Casa de la Cultura de San Isidro, Argentina
1990 Muestra, Sociedade Argentina de Artistas Plásticos, Buenos Aires




 Email:
gabriel.bertazzoli@gmail.com
+ 55 21 2632 6136
+ 55 21 9201 0417 (cel)

Studio:
Estrada da Caneca Fina, Vale das Nascentes, Rua C 225.
Guapimirim
Rio de Janeiro
CEP: 25940-000

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Papel Reciclado ou Artesanal


Fonte da imagem: Trabalho artesanal de papel reciclado publicado no Blog http://reciclarteira.blogspot.com.br

O vídeo mostra como produzir papel reciclado de uma forma bem simples.

Produzido pelas crianças do Projeto Clicar, projeto que trabalha com crianças e adolescentes em situação de risco social na região da Lapa em São Paulo.

Os garotos criaram um vídeo bem interessante, ensinando como fazer papel reciclado, a atividade foi realizada no dia 21 de fevereiro de 2008.



terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Radamés Medeiros, Arte na Publicidade


Radamés Medeiros: Consultor Publicitário, Designer, Diretor de Arte.

Presta consultoria publicitária - freelancer - para sanar problemas de comunicação, principalmente no que se trata de material visual.

Produz peças gráficas e vídeos para todo tipo de negócio e situação.

Layout para sites, hotsites, mail marketing, personalização de páginas em redes sociais (e manutenção das mesmas).

Ligue e peça um orçamento.

Tel: 21 80115860

radamesmedeiros@gmail.com



domingo, 13 de janeiro de 2013

Os Jardins Suspensos da Babilônia


Lenda ou realidade? Teria mesmo existido os Jardins Suspensos da Babilônia? Ou é mera especulação. Das Sete Maravilhas do Mundo é a que menos temos informação.

Teria mesmo o Rei Nabucodonosor construído os jardins para sua mulher, Amytis? Amytis era uma princesa da Média. A lenda conta que Nabucodonosor teria construído os jardins para lembrá-la de sua terra natal.



Mas é estranho que Nabucodonosor, um monarca que registrou suas muitas realizações em escrita cuneiforme, uma forma antiga de escrita usada para manter registros oficiais, não mencionasse os jardins entre elas. 

Supostamente construído em 640 a. C. os Jardins não são mencionados em nenhum documento, tais documentos talvez tenham sido destruídos por seu sucessor. Muito da história antiga se perdeu em meio a disputas políticas. Às vezes inscrições em monumentos eram apagadas e o nome dos novos governantes era escrito por cima. 


Construídos em forma de degraus, os Jardins Suspensos eram formados por terraços e neles estavam plantadas árvores, flores tropicais e palmeiras. Um gigantesco canal de junco e pedras teria sido construído, para trazer água até os jardins. 

Nabucodonosor construiu também a Torre de Babel, com 250 m de altura e um canal de defesa ligando os rios Tigre e Eufrates, cercado por um muro em toda a sua extensão.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

A Escrita


Inventada há mais de 4000 anos antes de Cristo, a escrita cuneiforme apareceu no sul da Mesopotâmia. Menos de trinta letras compunham o alfabeto, que substituiu a escrita cuneiforme mil anos depois. Os inúmeros alfabetos de hoje em dia, tem sua origem no alfabeto Cananeu. 27 a 28 letras compunham esse alfabeto, que no século XIII se viu reduzido a 22 letras.



As tabuinhas de argila eram muito usadas naquela época, e para escrever os escribas utilizavam uma varinha de bambu em forma de cunha, dai o nome de escrita cuneiforme. Foram encontradas centenas dessas tabuinhas na região da mesopotâmia.

Existiam até dicionários de sinônimos e muitas vezes eram bilíngues. Algumas tabuinhas tinham o formato de livros e tinham dobradiças, para prender uma nas outras. Existiam também bibliotecas, mas seu uso era privilegio dos escribas, sacerdotes e da nobreza.

fonte: Grandes Impérios e Civilizações

sábado, 5 de janeiro de 2013

Artesanato com Fios


Dicionário Aurélio - Século XXI Macramé [Do fr. macramé < it. macrame.] S. m.
1. Espécie de passamanaria feita de cordão trançado e com nós.
2. Bord. Tipo de linha ou fio próprio para bordados, filés e crochês.

O Macramé é uma técnica de transar fios, que acreditam alguns pesquisadores tenha surgido na pré-história, quando os primeiros nós foram criados, para amarrar fibras, com intuito de fazer casacos e outros objetos. Alguns dizem que ela surgiu nos países árabes, pois "migramah" significa franja ornamental.

Nos navios árabes, os marinheiros praticavam vários tipos de nós. Foi introduzido na Europa no séc. XVI, mais precisamente na Espanha e se espalhou por vários países, inclusive França, aonde alguns nós foram aperfeiçoados.

Partindo do “festonê” e do “ponto de nó duplo”, muitas variações podem ser feitas, surgindo daí várias peças artesanais, como bolsas, cintos, cordões, pulseiras e até quadros.

Hoje essa tecelagem manual é muito difundida pelos artesãos, que a cada dia criam novos desenhos, produzindo peças que encantam a todos por sua beleza e delicadeza.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Biblioteca Real de Alexandria



Talvez a maior biblioteca do mundo antigo, a Biblioteca Real de Alexandria, teve seu auge durante a dinastia dos Ptolomeu. Acredita-se que tenha existido até o domínio dos romanos sobre o Egito. Fundada no século III a.C., mais exatamente durante o reinado de Ptolomeu II, supõe-se que tenha tido em seu acervo mais de um milhão de volumes. 

Vários incêndios destruíram parcialmente a Antiga Biblioteca de Alexandria, um deles é atribuído a Julio Cesar, que teria botado fogo em seus próprios navios. O incêndio teria começado nas docas e se espalhado até a biblioteca. Em 646 um incêndio acidental toda biblioteca foi destruída.

O principal objetivo da Biblioteca de Alexandria era preservar e divulgar a cultura nacional do antigo Egito. Em suas salas foram traduzidas para o grego as Escrituras Hebraicas, por 72 eruditos judeus.


Grandes nomes da Alexandria
Euclides: Matemático
Aristarco de Samos: Astrônomo
Arquimedes: Matemático e Inventor
Calímaco(c. 305-c. 240 a.C.): Poeta e Bibliotecário grego
Eratóstenes: Polímata (conhecedor de muitas ciências)
Galeno: Médico
Herófilo: Médico
Hipátia: astrônoma, Matemática e Filósofa
Ptolomeu: Astrônomo