segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Arte no Império Banhado a Ouro


Com a chegada dos espanhóis, liderados por Francisco Pizarro, extinguiu-se aquele que foi o maior império das Américas, o Império Inca. Com sua capital em Cusco, o Império Inca se estendia do Equador ao norte do Chile, mas sua cidade mais conhecida é Machu Picchu, descoberta em julho de 1911 pelo historiador americano Hiram Bingham

Quando Francisco Pizarro desembarcou no Peru, encontrou um império destroçado por uma guerra civil, dividido entre os irmãos Atahualpa e Huáscar, que lutavam por um controle total. Os espanhóis não tiveram muito trabalho para destruir e saquear aquele majestoso império.


Império Inca teve início por volta de 1250 d.C., com a conquista dos povos que habitavam a região. Dividido em castas, que não se misturavam, acredita-se que as nobres Incas eram de pele clara e enormes cabelos negros e lisos, os lideres Incas dominaram aquela região até a chegada dos espanhóis em 1533.

O Império Tahuantinsuyo, como era chamado pelos Incas, tornou-se conhecido por todos por sua fúria e por usar a pele de seus inimigos como tambores, o crânio também era muito usado, o que intimidava qualquer oponente.


Os Incas desenvolveram um estilo muito funcional e uma avançada arquitetura de pedras na construção de edifícios. A planta das cidades era baseada em um sistema das avenidas principais cruzadas pelas estradas menores que convergiram em um quadrado aberto principal cercado prédios e templos.


Mas não foi essa arquitetura que despertou o interesse dos espanhóis. Quando ali chegou, Francisco Pizarro já sabia que todos os edifícios e casas eram cobertos de ouro e que utensílios de uso domestico, também eram de ouro.

Para os Incas o ouro não tinha valor monetário e sim decorativo. Foi a ganância, e a disputa pelo poder, quem destruiu um dos maiores impérios que se tem conhecimento.

fonte das imagens: druidadovento.blogspot.com fonte do texto: pt.wikipedia.org

0 comentários:

Postar um comentário

Caso tenha gostado do que encontrou aqui, comente o artigo que acabou de ler.