quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Os Gigantes da Ilha de Páscoa


Seria apenas o desejo megalomaníaco de um rei insano ou obra de alguma civilização alienígena? Estudiosos, pesquisadores, arqueólogos, ufólogos, buscam respostas até hoje desconhecidas. Quem teria construído os Moais (enormes estátuas de pedra)? Como eles foram transportados até os Ahus (monumentos funerários)?

No ano de 1722, domingo de páscoa, às 18 horas. A bordo do navio de Afrikaanske Galei, os marinheiros trabalham normalmente. Há quatro meses e meio tinham levado ferro da Holanda em viagem de exploração e comércio e afora o rápido combate com um grande galeão espanhol, que tinha deixado para trás graças a sua superior velocidade, tudo havia corrido ao gosto do comandante comodoro Jacob Roggeveen. Súbito o vigia, anuncia “terra à vista”. Ao se aproximarem de uma ilha não assinalada no mapa, com a pouca luz do entardecer chegam a tempo de avistar no litoral.

"Sobre longas muralhas de pedra, enormes gigantes que parecem dispostos a evitar desembarque. Roggeveen manda ancorar longe da costa e decide esperar pelo amanhecer para tomar uma decisão. Quando o dia clareia os europeus têm sua segunda surpresa. Os gigantes permaneciam parados e com óculos de alcance foi possível avistar gente de tamanho normal que se movia entre eles. Tinha-se assustado com estátuas. Resolvem então desembarcar, após batizar a ilha em honra a data de sua descoberta." (Texto retirado do livro “Grandes Enigmas da Humanidade" Luís Carlos Lisboa e Roberto Pereira de Andrade)

Nada mais espantoso que as estatuas gigantes da Ilha de Páscoa, mistério até hoje não desvendado. Longe de tudo, num lugar isolado, perdido em meio ao oceano pacifico um povo extremamente obstinado, construiu essas fabulosas obras de arte.

Dizem que foram cortadas todas as árvores da ilha, para o transporte dos enormes blocos de pedra, até o lugar onde estão hoje e para a fabricação dos andaimes e guindastes que ajudaram a levantá-los. Tal feito teria causado um desequilíbrio ambiental tão grande e provocado a extinção dos habitantes da ilha.

Centenas de estátuas medindo entre 6 e 12 metros de altura e pesando cerca de 20 toneladas, estão espalhadas pela Ilha de Páscoa. Algumas perto do mar, como que guardando a ilha da curiosidade de intrusos, outras mais afastadas. A maioria está de pé, algumas ainda deitadas, e outras inacabadas, como se tivessem sido deixadas para trás pelos seus construtores. Quem sabe talvez fugindo de comerciantes de escravos, que naquela época passavam por ali. O que se sabe ao certo é que esse enigma, deverá ainda render muitas histórias.

0 comentários:

Postar um comentário

Caso tenha gostado do que encontrou aqui, comente o artigo que acabou de ler.