segunda-feira, 14 de julho de 2014

Os Zigurates

Num lugar sem rochas, situado entre os rios Tigre e Eufrates, onde terras férteis se estendiam até o horizonte; milhares de tijolos de barro cozidos ao sol, fabricados por centenas de escravos, eram peças fundamentais na construção dos Zigurates. 


Essas obras de arte característica da mesopotâmia foram encontradas por toda região. Ao todo 16 jazigos com restos de Zigurates estão confirmados. Em muito se assemelham com as pirâmides do Egito, mas são muito mais parecidas com os templos da America Central. Tinham base retangular composta de centenas de milhares de tijolos, onde uma série de plataformas sobepostas se assentava. A diferença entre esses templos Sumérios e as pirâmides, eram que os Zigurates tinham um templo no topo, enquanto as pirâmides eram túmulos. Dizem que era uma tentativa frustrada de copiar a famosa Torre de Babel.

Para se chegar ao último pavimento, era necessário usar escadarias intermináveis e estreitas que rodeavam os muros. Os mais antigos dos Zigurates datam do final do terceiro milênio a.C., os mais tardios, do século VI a.C., e as mais notáveis estruturas são as ruínas na cidade de Ur e de Khorsabad na Mesopotâmia. Como em todas as religiões, o medo é que propiciava o controle da elite sobre a população, sabe-se que apenas os sacerdotes podiam entrar em seu interior, e lá os sacerdotes se encontravam com os deuses.

Um comentário:

Caso tenha gostado do que encontrou aqui, comente o artigo que acabou de ler.