segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Nelson Rodrigues, o Maldito Necessário! de Euclides Amaral

A Cia Teatral Língua de Trapo publicou em seu Blog um texto de Euclides Amaral.


Nelson Rodrigues, o Maldito Necessário

"Nelson Rodrigues nasceu no Recife em 23 de agosto de 1912 e faleceu em 21 de dezembro de 1980, no Rio de Janeiro. Seu pai era jornalista e dono de jornal. Teve um irmão assassinado na própria redação. Era irmão do comentarista de futebol Mário Filho, nome verdadeiro do Estádio do Maracanã. Sua irmã foi casada com o poeta e tradutor Antônio Fraga. Escreveu romances, folhetins, crônicas, contos e peças de teatro. Atuou como comentarista de futebol e chegou a trabalhar como ator em uma de suas peças, mais precisamente, “Perdoa-me por me traíres”, ao lado de Gláucio Gil. Teve várias de suas obras adaptadas para cinema e televisão, principalmente para casos especiais da Rede Globo.

Considerado extremamente reacionário, era capaz de fazer comentários satisfatório em relação à ditadura militar instalada no Brasil de 1964 a 1984 e ainda chamar a esquerda brasileira de “esquerda festiva”.

Quanto a ser reacionário, isto nunca afetou a qualidade de sua obra, assim como a de um outro grande escritor, o poeta Manuel Bandeira, também, extremamente reacionário que chegou a chamar o cronista e jornalista Heitor Cony de mau caráter e romper a amizade. Isto porque o jornalista foi o primeiro a escrever sobre o golpe militar de 1964, chamando os militares de gorila. Na época, o poeta chileno Pablo Neruda escreveu para Heitor Cony parabenizando-o por tal feito. O poeta amazonense Thiago de Mello escreveu o poema “Estatutos do Homem” e o dedicou a Cony meses depois como forma de reconhecimento de sua luta contra a ditadura recém instalada.

Da obra literária de Nélson Rodrigues existe boa parte ainda inédita, principalmente cartas de amor endereçadas a uma certa esposa de ministro de Getúlio Vargas. Sua obra teatral é a que mais controvérsia causou no público e na crítica especializada. Gilberto Velho disse uma vez: “Em Nelson Rodrigues a temática do desvio é permanente”. Em sua obra é latente a releitura dos mesmos códigos, indicando o caráter multifacetado e ambíguo da vida cultural, lembrando que a sociedade está em constante estado de anomie - doente, instável -." Leia Mais...


Sobre o autor: Poeta, letrista e pesquisador do Instituto Cultural Cravo Albin. Nove livros publicados, entre os quais, "Alguns aspectos da MPB" (Esteio Editora 2010).

Mais de Euclides Amaral: Acesse a coluna OLHO VIVO, FARO FINO no portal Baixada Fácil (sobre literatura, música, cinema e teatro) 

Acesse a coluna FAROFA TOTAL no blog do ICCA (Instituto Cultural Cravo Albin) sobre literatura, música, cinema e teatro: 
http://iccacultural.blogspot.com/p/alter-artista.html

0 comentários:

Postar um comentário

Caso tenha gostado do que encontrou aqui, comente o artigo que acabou de ler.