quinta-feira, 20 de novembro de 2014

A arte na pré-história

No escuro de uma caverna um homem atarracado e forte pega um graveto e arrisca alguns traços. Esboça pequenos riscos disformes e diferentes das representações fiéis da natureza. Ali começa o período neolítico. Os desenhos, obras de arte que sugerem hieróglifos, símbolos ocupam o lugar das reproduções exatas dos objetos. Os traços são simplificados e estilizados, o que favorece mais tarde, surgirem formas mais corretas e rigorosas. O período paleolítico, com seu estilo naturalista, começa a desaparecer lentamente.


Essa mudança de estilo é uma passagem do homem que vive simplesmente colhendo e catando o que a natureza lhe oferece, para a fase de domesticação de animais e cultivo das plantas. Em meio a essa turbulência de mudanças, o homem vai se adaptando. O culto aos mortos, o cultivo da terra, a busca por matérias primas, são mudanças que influem em seu modo de ver o mundo e todas as coisas. A arte vai se intelectualizando e ficando mais racional. O mágico e o imaginário dão lugar a uma visão mais concreta da realidade. A vida parasitária do período paleolítico se modifica e torna-se produtiva e construtiva. O homem perde seu instinto de caçador e se torna um formalista, um antagonista da natureza. Esse período se torna hegemônico e tem longa duração. 

fonte: História Social da Literatura e da Arte - A.Hauser

0 comentários:

Postar um comentário

Caso tenha gostado do que encontrou aqui, comente o artigo que acabou de ler.