quinta-feira, 30 de abril de 2015

Santa Teresa

Deixei esse comentário no Blog Sonhos Coloridos da amiga Rosangela Ataide e acabei ficando um pouco saudosista, do tempo em que Rio de Janeiro era encantador e Santa Teresa parecia uma cidade do interior.

Morei em Santa Teresa no ano de 1979, era lindo, a paz, a confraternização, ficar nas ruas até o amanhecer, os bazares, o bonde, a tranquilidade do Largo das Neves, o bar do Arnaldo, o Centro Cultural com seu Cine Clube. Nossa, como o tempo passa!





Obrigado por me fazer reviver esse lindo passado, de um Rio de Janeiro realmente maravilhoso.

Vários de meus amigos moravam lá naquela época.

Com Elis Regina de fundo musical é muito melhor.

terça-feira, 28 de abril de 2015

Teotihuacán, Cidade Maia

No ano 600 a.C. Teotihuacán, essa belíssima obra de arte, já era considerada a maior cidade da America Pré-Colombiana. O nome Teotihuacán também é usado para referir à essa civilização ou cultura, e sua extensão incluiu boa parte do México central. Em 1987 foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.


As civilizações mexicanas tinham uma lenda, segundo a qual, uma primeira geração de homens havia sido destruída em tempos remotos por Jaguares (Primeiro Sol). A geração seguinte fora destruída por furacões ou Vento (Segundo Sol). Uma terceira por erupções vulcânicas ou Fogo (Terceiro Sol). A quarta havia desaparecido com um dilúvio de Água (Quarto Sol). Estes sóis de cada uma das idades não eram como o sol atual que aquece temperadamente e que dá vida; este último sol teria sido criado em Teotihuacan (Quinto Sol).

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Jornal da Feira Hippie de Ipanema

O Blog Jornal da Feira Hippie de Ipanema foi criado por Ivan artesão, que trabalha há mais de 40 anos na Feira Hippie de Ipanema.

"A intenção é que esse blog sirva como um jornal, mostrando as visitas de personalidades, os fatos corriqueiros, enfim tudo que apresente algum interesse.

Sobretudo tentar mostrar o que é e o que acontece na nossa feira de artesanato, essa quarentona querida por todos nós expositores e visitantes."

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Machado de Assis

Machado de Assis nasceu no Rio de Janeiro, mulato de infância muito pobre, empregou-se como tipógrafo na Imprensa Oficial. Foi autodidata publicando ali seu primeiro livro aos vinte e seis anos. Casou-se com a portuguesa Carolina de Novaes, com quem viveu durante 35 anos; não tiveram filhos. Machado de Assis foi funcionário público, jornalista e , como escritor já celebrizado, foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Romancista, cronista, poeta e teatrólogo, Joaquim Maria Machado de Assis nasceu no Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839, no morro do Livramento. A falta de recursos impediu que realizasse estudos regulares, frequentando apenas o primário em uma escola de São Cristóvão. Aos 16 anos de idade, deu início à sua carreira literária, publicando o poema "Ela" na "Marmota Fluminense", da qual se tornou colaborador regular. A partir daí, passou a escrever também para o "Diário do Rio de Janeiro", a "Semana Ilustrada" e outros. Em 1869, casou-se com Carolina Augusta Xavier de Novais, com quem viveu durante 35 anos; não tiveram filhos.


Primeira fase – romântica Ressurreição (romance – 1872) A mão e a luva (romance – 1874) Helena (romance – 1876) Iaiá Garcia (romance – 1872) Histórias da meia-noite (contos – 1873)

Os romances românticos de Machado de Assis seguiam praticamente a mesma trilha dos melhores romances urbanos de José de Alencar, porém já se delineavam neles a crítica e a análise psicológica que pontificaram na sua melhor fase, a realista. No romance Iaiá Garcia, por exemplo, destaca-se a importância do social na formação do indivíduo e esse procedimento foi um dos motivos condutores dos romances realistas de Machado de Assis.

Segunda fase – realista Memórias Póstumas de Brás Cubas (romance – 1881) Quincas Borba (romance – 1891) Dom Casmurro (romance – 1900) Esaú e Jacó (romance – 1904) Memorial de Aires (romance – 1908) Papéis Avulsos (contos – 1882) Histórias sem Data (contos – 1884) Relíquias da Casa Velha (contos – 1906) Teatro A Queda que as Mulheres Têm pelos Tolos (1864) Quase Ministro (1864) Tu, só tu, Puro Amor (1881) Poesia Falenas (1870) Americanas (1875) Ocidentais

A Critaura (fragmento) Sei que uma criatura antiga e formidável, Que a si mesma devora os membros e as entranhas Com a sofreguidão da fome insaciável Na árvore que rebenta o seu primeiro gomo Vem a folha, que lento e lento se desdobra, Depois a flor, depois o suspirado pomo Pois essa criatura está em toda a obra: Cresta o seio da flor e corrompe-lhe o fruto; E é desse destruir que as suas forças dobra. Ama de igual amor o poluto e o impoluto; Começa e recomeça uma perpétua lida, E sorrindo obedece ao divino estatuto. Tu dirás que é a Morte: eu direi que é a vida.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Feira de Artesanato de Valença

Em torno de uma bucólica praça com coreto, em uma maravilhosa cidade do interior do Estado do Rio de Janeiro, acontece a Feira de Artesanato de Valença.

Evento que acontece sempre em datas comemorativas de feriados e que reuni vários artesãos da cidade. Todos desenvolvendo peças artesanais de qualidade, para que a população de Valença e arredores tenham uma opção mais barata e diferenciada nesse natal.




Varias associações participam da feira de artesanato:

No Blog www.trancariasdaserra.blogspot.com você poderá encontrar mais opções de artesanato em Taboa. O Blog pertence a um grupo de artesãos da Varginha, que trabalham juntamente com a professora de artesanato, D. Angel.


segunda-feira, 6 de abril de 2015

Museu do Louvre (Musée du Louvre)

Construído por Napoleão, no Palácio do Louvre, no centro de Paris, mais precisamente entre o Sena e a Rue de Rivoli, é um dos mais conhecidos e famosos museu do mundo. Detentor de um dos maiores acervos, contem obras fantásticas, entre elas: Mona Lisa, Vitória de Samotrácia, Vénusde Milo, coleções de obras de arte do Egito antigo, obras dos artistas clássicos Europeus, Ticiano, Rembrandt, Goya, Renoir e obras de artesanato do Mestre Vitalino de Caruaru - PE.



O palácio Real do Louvre foi aberto em 8 de Novembro de 1793. O pátio central é ocupado agora pela pirâmide de vidro e encontra-se na linha central dos Champs-Élysées. Sabe-se que o Museu do Louvre, foi o mais visitado em todo o mundo, atingindo em 2007 um publico estimado em 8,3 milhões de pessoas.


Coleções do acervo, algumas obras e autores: Artes decorativas Durand, Revoil, Sauvageot e Campana. Antiguidades egípcias:
Papiros, múmias, amuletos, vestuário, joalheria, instrumentos musicais, jogos e armas, famoso Escriba sentado, uma faca de pedra e marfim de Gebel-el Arak com punho decorado com cenas de guerra e de caça, a Estela do Rei Serpente, a cabeça do rei Djedefre, a estátua de Amenemhatankh, o Portador de oferendas, o busto de Akhenaton, e a estátua da deusa Hator, sarcófagos ricamente pintados, frascos para cosméticos e objetos votivos.
Arte grega, romana e etrusca:
Vasos, cerâmicas, marfins, afrescos, mosaicos, vidros e bronzes de várias procedências, Dama de Auxerre, a Vitória de Samotrácia, a Vênus de Milo, os retratos de Agripa, Marcellus e Marco Aurélio, o Gladiador Borghese, o Apolo de Piombino, a Diana de Versalhes, o Hermes amarrando as sandálias, e o vaso Hércules e Anteu, de Eufrônio.
Arte islâmica: Píxide de al-Mughira, uma caixa de marfim da Andaluzia; o Batistério de Saint-Louis, uma bacia de metal do período Mamluk; fragmentos do Shahnameh, um poema épico de Ferdowsi escrito em persa, e o Vaso Barberini, um vaso de metal da Síria.
Antigüidades do Oriente Próximo: Estela dos Abutres, as estátuas de Gudea e de Ebih-il, touros alados de Khorsabad, capitéis tauromorfos e painéis de azulejos esmaltados de Susa, e o Código de Hamurabi.
Pintura:
Rafael e Michelangelo, Leonardo da Vinci, Pietá de Avignon, de Enguerrand Quarton; o Retrato do Rei João, o Bom, de Jean Fouquet; o Retrato de Luís XIV de Hyacinthe Rigaud; a Coroação de Napoleão e O Juramento dos Horácios, de Jacques-Louis David, a Grande banhista de Ingres, e A Liberdade guiando o Povo, de Eugene Delacroix,Nicolas Poussin, Georges de La Tour, Charles Le Brun, François Boucher, Antoine Watteau, Jean-Honoré Fragonard, Jean-Baptiste Chardin, Jean-Baptiste Greuze, Horace Vernet, Camille Corot, Jean-François Millet e Antoine-Jean Gros entre outros.
Esculturas:
Jean Goujon, Simon Guillain, Jean-Louis Lemoyne, Germain Pilon, Antoine Coysevox, Guillaume Coustou, Nicolas Coustou, Étienne Maurice Falconet, Louis Petitot, Philippe-Laurent Roland, Pierre-Nicolas Beauvallet, Edmé Bouchardon, Jean Antoine Houdon, Augustin Pajou, Jean-Jacques Pradier, Jean-Baptiste Pigalle e François Rude. Dentre os estrangeiros são figuras principais Gregor Erhart, Antonio Canova, Giambologna, Adriaen de Vries, Francesco Laurana, Andrea e Giovanni della Robbia, Lorenzo Bartolini
fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Museu_do_Louvre

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Mostra fotográfica “Krahôs” - Fotógrafa Gisa Muller

O Centro Cultural Câmara dos Deputados convida para a abertura da mostra fotográfica “Krahôs” – Heranças Culturais Brasileiras”, da fotógrafa Gisa Müller, dia 08/04, quarta-feira, às 18h30, na Galeria de Arte do 10º andar do Anexo IV. Na ocasião, a artista receberá convidados e imprensa. A entrada é franca.

A exposição apresenta fotografias em preto e branco que retratam a tradição, o cotidiano e a cultura da ​etnia Krahô, no ​E​stado do Tocantins, registrados em trinta dias de imersão da artista. O resultado é um trabalho artístico e cultural que ressalta a beleza e a dignidade desse povo junto ao público.


Os Krahôs, povo que de quase extinto, hoje sobrevive com mais de 3000 habitantes em seu território no Estado do Tocantins, sendo essa área a de maior preservação do cerrado brasileiro.  

Gisa Müller é formada em Letras e seu trabalho com o registro etno fotográfico começou no continente asiático, onde viveu por mais de 12 anos. Ao voltar para o Brasil, criou interesse pelas culturas remanescentes, como os Quilombolas e as culturas indígenas. Sua primeira exposição ocorreu após uma viagem ao deserto do Rajastão, na Índia, onde retratou a realidade das ciganas que viviam sob o sol escaldante do deserto, com seus véus coloridos.

Mostra fotográfica “Krahôs” – Heranças Culturais Brasileiras”, da fotógrafa Gisa Müller.
“Encontro com o artista” – aberto ao público

Data: 8 de abril
Hora: 18h30
Local: Galeria de arte do 10º andar do Anexo IV da Câmara dos Deputados – Brasília-DF

Visitação

Local: Galeria de Arte do 10 º andar do Anexo IV – Câmara dos Deputados – Brasília
Período: 8 de abril a 6 de maio de 2015
Visitação: 2ª a 6ª, das 09 às 17 horas

Fonte: SECOM do Centro Cultural da Câmara dos Deputados e Brasília WEB.