quarta-feira, 28 de outubro de 2015

O Comércio na Roma Antiga

Uma festa era realizada quando se inaugurava algum tipo de comercio nas cidades romanas e oferendas eram oferecidas para o deus romano MERCÚRIO (Mercurius), HERMES - deus do comércio. Mas não foi apenas os cultos e as oferendas que colaboraram com o crescimento do maior Império da antiguidade, o comercio teve participação preponderante nesse feito.


Através do comércio realizou-se uma importante ponte cultural entre o Império Romano e outras civilizações espalhadas pelo mundo. Os romanos possuíam diversas manufaturas, predecessoras da industria moderna, e tinham produção fortemente vinculada aos mercados estrangeiros, dentro e fora do Império.

Existiam lojas, pequenos boxes, como nos mercados de hoje, onde se realizavam todo tipo de comercio e alguns dos produtos vendidos eram fabricados ali mesmo. Pequenos grupos de artesãos e suas famílias viviam desse trabalho e tiveram grande participação no desenvolvimento do comercio em todas as cidades romanas.

Vidro e perfumes feitos na Síria e no Egito, eram vendidos, no Oriente Próximo, para mercadores gregos, latinos, indianos, partos e até chineses, ocasionalmente. Estes produtos eram levados para todas as províncias do império, onde eram utilizados pelas elites locais como símbolos de ostentação, prestígio e civilização. Esta prática social, encontrada também na China, na Índia e na Partia, dava ensejo a importação dessas mercadorias de luxo, que atingiam preços excelentes fora do Império.

A economia do Império Romano teve como base uma única moeda corrente, a cobrança de baixas tarifas alfandegárias e uma rede de estradas e portos protegidos. Tudo isso para facilitar as trocas comerciais entre as várias regiões.

Embora a agricultura fosse a atividade econômica mais importante do mundo romano, o comércio marítimo de produtos de subsistência, exóticos ou de luxo foi bastante expressivo.

http://imperioroma.blogspot.com.br/2010/11/o-comercio-no-imperio-romano.html

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

FLIVA 2015, Incentivo à Leitura na Praça

A grande atração da FLIVA - Feira Literária de Valença desse ano de 2015 foram mesmo as crianças, que alegraram e embelezaram a festa. 

O evento que aconteceu na Praça do Jardim de Cima, deixou a criançada a vontade, e elas que não são bobas nem nada puderam aproveitar toda recreação que aconteceu na FLIVA 2015. E  as escolas cumpriram seu papel, com os professores trazendo a criançada e nos finais de semana, os pais continuaram a farra trazendo os seus filhos.



A FLIVA nos mostrou que devemos apostar mais no incentivo à leitura, pois é através da leitura que acontece a conscientização, fazendo com que nossos jovens sejam no futuro os novos agentes da transformação social que tanto queremos.

Vamos incentivar e apoiar mais eventos como esse, empresários e população, todos devemos trabalhar juntos para que a cultura eleve o nível e o poder de decisão de nossos jovens, pois eles são o futuro de nossa cidade.


segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Artesanato: Definição e Origem

Definição de artesanato, dicionário Aurélio. [De artesão 1 + -ato1.] S. m. 
1. A técnica, o tirocínio ou a arte do artesão 1: 
2. O conjunto ou a classe dos artesãos
3. P. ext. O produto do trabalho do artesão (2); objeto, ou conjunto de objetos feitos artesanalmente: 2 2 
4. Local onde se pratica ou ensina o artesanato (1)


Quando os primeiros seres humanos, começaram a fazer as primeiras ferramentas, ali estava configurado o nascimento do artesanato. O homem transformou, pela primeira vez, a matéria prima bruta em um utensílio há 6000 anos a.C., mais precisamente no período neolítico. Era o nascimento dos primeiros artesãos, polindo pedra e fabricando cerâmica, para guardar alimentos.


O artesanato brasileiro é o mais admirado em todo o mundo, e nossos primeiros artesãos surgiram também há 6000 anos a.C., no sudeste do Piauí. Hoje em dia o artesanato se modificou, se adaptou, constituindo várias ramificações, mas sem perder a criatividade e a beleza que sempre caracterizaram essa arte.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

A Arte e o Artesanato Grego

O período geométrico (séculos IX e VIII a.C.), o arcaico (VII e VI a.C.), o clássico (V e IV a.C.) e o helenístico (do século III ao I a.C.), são os grandes períodos da arte e do artesanato grego. Com seu realismo fascinante, essa arte tratava de representar a natureza como ela era.

fonte da imagem: www.arteeeducacao.net

Os gregos desenvolveram trabalhos na arquitetura, pintura, escultura e até na música. Iniciada no século XI a.C., a arte grega, ou arte minoica, mais tarde seria chamada de arte helenística e se espalharia pelo mundo levada pelo macedônico Alexandre, o Grande, influenciando os povos do Mediterrâneo e Ásia Menor. Alguns séculos depois de Alexandre a arte grega seria copiada pelos romanos.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Arte no Blog Saco de Filó

Um amigo aqui de Valença domina a arte de escrever como ninguém. Professor universitário, entre tantas outras ocupações, é autor de um dos melhores Blogs que já encontrei pela internet. Estou falando do Professor Marcelo Leite do Blog Saco de Filó

Um grande ser humano tem como principal característica a sensibilidade, e isso ele tem de sobra.

Obrigado por mencionar meu projeto em seu Blog, isso muito nos honra!

"Na semana anterior, eu já havia abraçado a causa dos colegas do SOS Serra dos Mascates (conheça mais sobre eles). A causa pela qual luta esse grupo tendo o André e o Victor como representante diretos que tratam comigo, encheu-me os olhos. Cresci aprendendo a amar aquela serra (Serra dos Mascates) e tudo que representa para minha cidade (Valença).
Professor Marcelo Leite"