segunda-feira, 13 de junho de 2016

Encontro nas Dunas - Victor S. Gomez

Encontro nas Dunas - Victor S. Gomez

No inicio dos anos 70 era certo irmos para Cabo Frio,
As vezes várias pessoas dividiam a mesma casa.
Éramos como irmãos,
naquele tempo todos se ajudavam.
De carona ou de ônibus todos chegavam lá.
Na beira do canal todos vendiam aquilo que faziam,
era comum isso.
O vento forte nos levava,
todos os dias ventava no canal.
Um dia um pescador me disse.
na lua cheia o vento para,
e nesse dia o vento parou.
Nos encontrávamos em outros lugares,
e conversávamos sobre música,
sobre um pouco de tudo.
Alguns se encontravam no bar mais próximo depois da feira.
Outros passeavam pelas Dunas de Cabo Frio,
e era como estar em outro mundo,
as vezes nos perdíamos por lá,
as vezes nos encontrávamos por lá,
e sentávamos,
e contávamos historias,
tínhamos muito o que conversar
e partilhar.
O mundo era uma bola vagando em universo sem fim.
Nós sabíamos internamente,
que um dia tudo se acabaria,
então tentávamos aproveitar da vida o melhor.
Lá fora as vezes se ouviam os estampidos de uma guerra suja e covarde,
que quem passou pelo Araguaia nos contou.
Carros e tanques de guerra por todo lugar,
matando uma dúzia de irmãos.
Ainda bem que nossa noite não eram só de papos astrais,
sabíamos o que estava acontecendo,
não éramos tão alienados quanto diziam.
Na noite escura velávamos as almas de nossos irmãos nas nossas fogueiras.
e pedíamos que tudo acabasse bem,
para o bem de todos,
para o bem do Brasil.
Nós sabíamos que as atrocidades de uma guerra se perpetuam por gerações.


Visitem meu Blog:
Blog Cidadania
www.victorsgomez.com

0 comentários:

Postar um comentário

Caso tenha gostado do que encontrou aqui, comente o artigo que acabou de ler.