terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Agendas de Fibra de Bananeira

Artista Plastico Albino Ursolino, trabalha na Feira Hippie de Ipanema, todos os domingos e confecciona agendas e cadernos feitos com a fibra da bananeira.



Contato:
Arte Fatos da Vida
albinoursulino@hotmail.com


Cadernos feitos à mão com costura copta, miolo com papel reciclado e revertido de papel feito com a fibra de bananeira.





domingo, 5 de fevereiro de 2017

Frases de Victor S. Gomez

Algumas Frases de Victor S. Gomez. (25)

01- Estamos aqui para uma nova caminhada, espero que seja melhor do que a de ontem. E não se esqueçam, juntos somos mais fortes. 

02- O que me inspira a escrever? Alguém sabe? 

03- Algumas pessoas tiveram uma forte influência em minha vida, meus pais por exemplo, outras são grandes parceiras até hoje, umas poucas foram fundamentais para o meu crescimento pessoal. Quero aqui me desculpar por meus erros do passado. Hoje tenho mais confiança devido a todas essas pessoas. Nomes importam? Não, todas sabem o seu valor. Obrigado, eu pouco seria sem vocês.

04- Desculpem meus erros. Vou escrevendo e tentando corrigir. Trabalho sozinho, não tenho revisor, as vezes passam alguns erros, outros ficam, mas faço o que posso. Obrigado pela atenção e pela consideração por meu trabalho.

05- Eu escrevo tudo que quero? Não, nem um milésimo. 

06- Queria voltar no tempo, desfazer algumas coisas, refazer outras, viver de uma outra maneira; como não posso, me entrego a meu destino, e tento fazer o melhor possível daqui em diante.

07- A vida não aceita remendos, se o conserto não for perfeito e de coração, não vale.

08- Se você errou com um amigo, corrija enquanto é tempo, pedir desculpas não mata ninguém.

09- A dureza da vida e o tempo lapidam a alma, vale a pena viver. 

010- É muito ruim quando algo que parecia duradouro se desmorona sobre si mesmo, mas por outro lado isso é sinal de que nunca deveria ter começado.

011- Não desista de seus objetivos, insista, só assim você será feliz.

012- Obrigado a todos que me ajudaram e aos que não também, se cheguei até aqui foi por merecimento.

013- É preciso coragem, mas nós temos, por isso vamos lutar sempre por dias cada vez melhores.

014- As vezes abro meu peito, rasgo minha alma, e o que saí de dentro? As vezes coisas boas, outras vezes... Ai meu Deus, quanta bagunça!

015- O retorno existe, então tenha cuidado com o que você faz.

016- Quando lhe faltar paz, procure conforto ajudando alguém. Seja um voluntário

017- Seja um ser político, atue. Seja um voluntário.

018- Ações, atitudes, se concretizam, palavras se dissipam.

019- Me deu uma ansiedade, um "não sei o que fazer", então só me restou desejar um belo e radiante dia para todos! 

020- A vida mostra os caminhos, cabe a nós escolher o melhor.

021- Bons sentimentos, todos tem? A maioria ainda tem, outros tentam enganar e as vezes conseguem. 

022- Quando o desejo e a vontade de fazer são maiores tudo acontece.

023- Se você é desleal a culpa não é minha, se você é uma pessoa dissimulada a culpa não é minha, se você sempre falha com a verdade a culpa não é minha, se você em toda sua vida só teve interesses mesquinhos a culpa não é minha, me culpe apenas por meus erros e depois procure fazer uma autocrítica, ou então procure um psicanalista. 

024- Não se deseja nem se festeja a morte de ninguém, isso nos faz um mal terrível. 

025- O tempo não te transforma, é o seu empenho em querer melhorar que pode muda-lo.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Trupe da Leitura, um Projeto de Incentivo a Leitura

Criado em 2002 por Victor S. Gomez, a Trupe da Leitura, um projeto de incentivo a leitura, era formada por crianças e adolescentes que frequentavam o CECI - Centro Cultural Criança Cidadã, em Seropédica, Baixada Fluminense.

Em um município recém emancipado que sofria carência na área da cultura, o projeto Trupe da leitura, visava formar o gosto pela leitura nos alunos da rede escolar municipal e privada.

O Projeto Trupe da Leitura buscava também a melhoria da qualidade de vida, nas comunidades de baixa renda, pretendendo tirar nossos jovens da faixa de exclusão social.

Voluntários de verdade se empenharam de corpo e alma nesse projeto, e em 2002 surge como fruto desse trabalho, a Trupe da Leitura, projeto de incentivo a leitura, que durante dois anos fez várias apresentações nas escolas do município.

Houve patrocínio, para formulação do projeto?
Não tínhamos empresas que financiassem o projeto, apenas contávamos com nossas forças para mantê-lo. Fazíamos bingo, festas e outras atividades para a manutenção da instituição.

Qual era o perfil da clientela do projeto?
Jovens e adolescentes da comunidade, mais precisamente do bairro Parque Jacimar, Km 42 de Seropédica, RJ.


Qual a complexidade ao montar um projeto?
São várias situações difíceis, que passam, quem deseja trabalhar corretamente em nosso país, a começar pela total falta de apoio do poder público. Em cinco anos de existência o CECI (Centro Cultural Criança Cidadã) nunca recebeu apoio da prefeitura local. Nosso maior parceiro nessa época foi a Paróquia Maria Mãe da Igreja, através dos Padres Umberto e Gabriel e depois a comunidade.

Qual a metodologia utilizada durante o percurso do projeto?
Através de círculos de leitura e de técnicas teatrais, eram trabalhados os clássicos da literatura infanto-juvenil, poesias, lendas e folclore da nossa cultura. Montamos com os adolescentes esquetes teatrais e os mesmos encenavam e recitavam poesias nas escolas públicas e particulares do município, visando com esse trabalho formar multiplicadores e despertando em outros jovens o interesse pela Leitura.

A bibliografia e ou embasamento teórico.
Os livros eram escolhidos através dos jovens que frequentavam o projeto, nada era muito programado, o jovem escolhia o livro de acordo com seu gosto pela leitura.

A instalação e mobilidade dos voluntários do projeto.
Todos eram voluntários e vizinhos da instituição. A locomoção e alimentação dos jovens as escolas era por conta do projeto.

Havia treinamento para os adolescentes voluntários.
Era como se fosse um grupo de teatro, todos tinha aulas de teatro, pois o texto do livro escolhido era encenado pelos adolescentes da Trupe da leitura, como em uma apresentação teatral.

Houve apoio comunitário?
Havia o interesse da família dos jovens que acompanhavam o projeto, pois ao invés de ficarem na rua depois da aula, todos iam para a ONG, ensaiar os textos para as apresentações nas escolas. A comunidade sempre gosta quando surge um trabalho como esse, pois desenvolve no jovem a capacidade de escolha de um objetivo para seu futuro, eles deixam de ter um ou duas opções e passam a ter um leque de opções.


Existe a perspectiva de continuidade ou ampliação do projeto?
CECI (Centro Cultural Criança Cidadã) fechou suas portas há mais ou menos 1 ano, depois de sete anos de existência, se não me engano. Fui Diretor Executivo dessa instituição por 5 anos. Para mim foi a experiência mais enriquecedora da minha vida.

Quais foram às evoluções?
Os jovens que frequentavam o projeto, hoje estão no mercado de trabalho, alguns fizeram curso técnico, outros fizeram faculdade. É incrivelmente gratificante, ter hoje vários deles como amigos pessoais, é só ver no meu Facebook, alguns deles estão lá e frequentemente conversamos.

Como era feita a busca dos recursos financeiros, dos voluntários, apoio e parceria.
Acho que respondi essa pergunta acima.

Há registro ou resultados satisfatórios do projeto?
Não tenho registros dessa época, talvez encontrem com os últimos diretores da ONG, mas acho que só o fato de sabermos o retorno que esses jovens tiveram em suas vidas e o reconhecimento que eles me mandam em forma de amizade é formidável.

Hoje o senhor teria outros projetos em preparação ou vigência? E são ligados à leitura?
Participo de alguns projetos aqui em Valença, RJ, mas todos na área de meio ambiente e tenho alguns Blogs na internet onde escrevo sobre criação de ONGsprojetos sociais e meio ambiente. Mas ainda guardo saudades desse projeto e tenho certeza que se tiver possibilidade, a Trupe da Leitura vai voltar a ativa, pois é um projeto muito interessante e transformador.