domingo, 20 de janeiro de 2019

A Fantástica Electric Light Orchestra - ELO

A Electric Light Orchestra (ELO) é uma banda de rock inglesa formada em Birmingham em 1970, pelos compositores / multi-instrumentistas Jeff Lynne e Roy Wood com o baterista Bev Bevan. Sua música é caracterizada por uma fusão do pop dos Beatles, arranjos clássicos e iconografia futurista. Após a saída de Wood em 1972, Lynne se tornou a líder da banda, organizando e produzindo todos os álbuns enquanto escrevia virtualmente todo o material original. Na sua formação inicial, Lynne, Bevan e o tecladista Richard Tandy eram os únicos membros consistentes do grupo.


Membros
Jeff Lynne
Past members
Roy Wood
Bev Bevan
Richard Tandy

Jeff Lynne's ELO
Originário: Birmingham, Warwickshire, West Midlands, England
Genero:
Progressive pop
pop rock
art rock
progressive rock
Anos de atividade: 1970–1986, 2000–2001, 2014–present


segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

A Paz dos Ingênuos - Texto de Victor S. Gomez

As vezes me pergunto: Por que eu escrevo? A resposta eu sei, mas não deixo nunca de fazer essa pergunta. Me levará isso até onde? Ou isso me tirou de um lugar mais obscuro, triste que só Deus sabe o mal que me faria. Volta e meia a vida nos premia com a chance de sermos melhores, então só nos resta aproveitarmos.

Folia de Reis, Valença - RJ

A Paz dos Ingênuos - Victor S. Gomez - Escritor

Onde se esconde o mais bem guardado de todos os segredos?
Onde está a chave que abre esse lugar?
Por que somente poucos podem passar por essa porta?
Tenho medo da resposta.
Tenho medo de entender o que move o universo,
o que move o mundo,
o que move nossas vidas,
de entender o que disparou o gatilho.
Verdes mares ensurdecedores,
ilógico mundo em que habito,
como faço para não me deparar com a verdade que cega,
com a verdade que me enoja?
Que pessoas são essas que habitam esse lugar,
que não dizem nunca a verdade,
que destroem sonhos,
que destroem vidas?
Como explicar isso para aqueles que choram sobre o sangue derramado na sarjeta,
que corre em direção ao ralo,
que desce esgoto a dentro,
e viram alimento para os ratos?
Onde se esconde o mais bem guardado de todos os segredos?
Onde está a chave que abre esse lugar?
Por que somente poucos podem passar por essa porta?
Tenho medo da resposta.
E meu medo aumentam quando as rixas ocorrem entre amigos,
quando nem meu pai me olha mais,
quando tenho que abaixar a cabeça,
me escondendo de todos, de tudo.
Verdes mares ensurdecedores,
ilógico mundo em que habito,
como faço para não me deparar com a verdade que cega,
com a verdade que me enoja?
Quantas vezes senti o cheiro podre da corrupção,
quantas vezes me vi cercado pelos abutres que se digladiavam sobre a carniça,
sobre os corpos esfacelados,
seus músculos amostra e querendo mais e mais.
Paz na terra aos homens de boa vontade,
penso, rezo, peço em minhas preces,
só querendo a paz encontrada apenas nas grande naves,
com o Cristo que foi pregado na cruz injustamente.
Onde se esconde o mais bem guardado de todos os segredos?
Onde está a chave que abre esse lugar?
Por que somente poucos podem passar por essa porta?
Tenho medo da resposta.
Não espero o lugar mais belo,
onde os anjos cantam todas manhãs,
quero a paz dos ingênuos,
a paz que somente encontramos nos recém nascidos.

* Aviso: A cópia de qualquer texto sem autorização expressa do autor constitui crime de violação de direito autoral, conforme o art.184 do código penal cominado com a lei nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

A Vida e a Arte de Stanislaw Szukalski

A Netflix está exibindo um documentário muito interessante sobre a vida e a arte de Stanislaw Szukalski produzido por George Dicaprio.

Uma mente que poucos tem, um artista único, que alguns tinham como insano, mas que nem por isso deixou de realizar obras fantásticas. Obras de um artista inquieto, que se achava o melhor de todos,  e que por isso teve sua carreira prejudicada inúmeras vezes, tornando-o um artista praticamente desconhecido nos dias de hoje.


Stanislaw Szukalski foi um pintor e escultor polonês-americano, que pretendia criar uma nova arte polonesa baseada em sua mitologia e história. Ele também desenvolveu a teoria histórico-pseudocientífica do Zermatismo, postulando que toda a cultura humana era derivada da Ilha de Páscoa pós-dilúvio e que a humanidade estava trancada em eterna luta com os Filhos Yetis (Yetinsyny), descendentes de Yeti e humanos.


Szukalski nasceu em Warta, na Polônia, e foi criado em Gidle, uma aldeia próxima. Ele chegou a Nova York com sua mãe, Konstancja, e sua irmã, Alfreda, em 27 de junho de 1907; eles então foram para Chicago para se juntar a seu pai, Dyonizy Szukalski, um ferreiro.  Uma criança prodígio em escultura, ele se matriculou aos 13 anos no Art Institute of Chicago. Um ano depois, o escultor Antoni Popiel persuadiu os pais de Szukalski a enviá-lo de volta à Polônia, para se matricularem na Academia de Belas Artes de Cracóvia em 1910. Lá ele estudou escultura sob Konstanty Laszczka por três anos. Ele retornou a Chicago em 1913.


Durante a segunda gurra mundial, seu atelier localizado na Polônia foi bombardeado e ele perdeu todo seu acervo de obras.

https://www.netflix.com/browse

Mais Visitados: